Microsoft Azure e a subscrição Dreamspark

Microsoft Azure e a subscrição Dreamspark

Quem é estudante e tem acesso ao Microsoft Azure e a subscrição Dreamspark para este mesmo serviço, através do Ensino Superior, concerteza deparou-se com alguns problemas:

Problema 1 – Caso tenham um email Microsoft institucional ( empresas ou escola ), ao tentarem activar a vossa subscrição Azure DreamsSpark, irão verificar que é impossível activar a subscrição na vossa conta Azure da vossa escola.

 

Problema 2– Como está mencionado pela Microsoft: “Visual Studio Online Continuous Integration is not currently compatible with our Azure offer”. E de facto é verdade, se formos ao VisualStudioOnline e tentar-mos fazer deployments na nossa conta Azure, iremos encontrar uma mensagem igual a apresentada em baixo

message

Como podem ver aqui diz que as contas não irão conectar-se a vossa conta Azure LiveID.

É possivel criar um setup de integração continua entre o VSO e o Azure sem recursos externos!!!

Solução – Ao criarem a conta Dreamspark, mesmo que com o vosso email institucional (OrgID), a Microsoft cria uma conta LiveID associada à mesma. Assim sendo se tiverem iniciado a sessão na vossa conta Azure OrgID, vai aparecer uma fatídica mensagem de erro a dizer que a vossa conta não tem uma conta Dreamspark associada!
Como tal, precisam fazer login no Dreamspark com um browser em modo anónimo, e activar a subscrição desta forma! No passo seguinte irá ser criado uma conta Azure associada à vossa conta liveID.

 

Agora para fazer a integração continua.

No vosso projecto no Visual Studio 2015, se tentarem fazer um deploy no Azure, irá funcionar sem problemas. Quando o fazem dentro da pasta properties ira aparecer uma pasta chamada PublishProfiles e dentro da mesma ira existir um ficheiro *.pubxml.

Esse ficheiro tem os detalhes necessarios para fazer um deployment no Azure, este ficheiro terá de ser commitado no projecto para podermos fazer deployment a partir do VSO.

ATENÇÃO: O vosso repositorio deve ser privado pois esse ficheiro irá conter a vossa password de deploy.

howto

Neste ficheiro devem alterar a linha que contem o elemento: <_SavePWD> e substituir por <Password>.

Para obterem a password, vão ao portal Azure, abre a vossa web app e clicam aqui

howto2

 

Isso irá fazer download de um ficheiro com os dados para fazer deploy do vosso site. La dentro irá aparecer uma password que estará salted, é só colocarem agora a password no elemento xml <Password>

Para finalizar no VSO fazem os seguintes passos:

Quando fazem build ou release adicionem um Visual Studio Builder

howto3

 

E definem as seguintes opções:

howto4

 

Onde diz “StreetFood – Web Deploy.pubxml devem colocar o nome do vosso Publisher Profile, desta forma, sempre que a build é executada, os ficheiros são logo actualizados na conta azure.

Vamos ver uma demonstação:

Temos o seguinte site no azure:

howto5

Vamo então mudar o texto “All Users” para “All Test Users”

Neste caso vamos abrir pagina index.html e vamos alterar o texto que pretendemos mudar:

howto6

 

Após gravar o ficheiro e fazer commit o build foi disparado

howto7

O build correu sem problemas e o deploy foi feito!

howto8

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Finalmente vamos fazer refresh a nossa pagina inicial alojada no azure para ver se o texto foi alterado como queríamos:

howto9

 

E pronto, o deployment foi feito com sucesso.

Neste exemplo nem estamos a testar ou validar nada, apenas estamos a compilar e a fazer deploy. Num ambiente de desenvolvimento real não deve ser feito desta maneira pois se alguma coisa falhar vão deixar o vosso site comprometido.

GitLab + GitLab CI

k5vCD0BD

À alguns meses atrás tive a necessidade de instalar um repositório git.

Usar um bitbucket ou github não era uma opção pois a intenção era ser um repositório privado para alojar vários projectos.

Depois de algumas pesquisas encontrei o GitLab.

Continuar a ler

CloudPT API

Andei por ai a vasculhar um pouco a API do serviço CloudPT e achei interessantíssimo.

Para quem não conhece o CloudPT, a maneira mais facil de descrever é: Uma DropBox Portuguesa. No fundo é tão parecido com a dropbox que alguns elementos da API podem ser usados em ambos os serviços de storage.

A primeira coisa que me ocurreu quando comecei a olhar para a api foi fazer um pequeno programinha em python para fazer backups para lá. E assim foi.

Aqui fica o código para o caso de alguem querer fazer fork ou algo do genero:

https://github.com/killercode/CloudPTBackupTool

CryptoEscudo

CryptoEscudoNos últimos tempos tem havido um zum-zum muito grande a volta das crypto-moedas, fala-se muito sobretudo acerca do BitCoin.

Soube na semana da passada da existência de um projecto chamado CryptoEscudo, basicamente alguém se lembrou de criar a crypto-moeda portuguesa com fé que esta pode ser a solução para os problemas do nosso pais.

Recomendo vivamente a visita ao site do CryptoEscudo pois é extremamente interessante a ideia. Eu próprio já alinhei no esquema, e recentemente fiz a uma pré-release de um pequeno programa para tornar a tarefa de “mining” um pouco mais simples a todos os utilizadores

Podem encontrar o código e os binários aqui: https://github.com/killercode/CryptoEscudoMinerTools/

E já agora podem fazer os vossos donativos em CESC, aqui: http://geek-press.com/donations.html

Python

python_sh-600x600

Quando somos programadores, estamos sempre sujeitos a ter de fazer algo numa linguagem de programação que nunca utilizamos. Isso por vezes pode ser assustador (mas desafiante) , sobretudo quando a sintaxe dessa linguagem é um pouco diferente do que estamos habituados.

Foi assim que no inicio de Junho deste ano comecei as minhas aventuras com Python.

Continuar a ler

Jogo de Damas Open Source

Olá a todos!

No passado mês estive a desenvolver um pequeno jogo de damas em C++ para a Unidade Curricular de Programação Por Objectos da Universidade Aberta.
Achei que era um projecto interessante para avançar e fazer um jogo de damas completo.

Para já apenas permite Jogador Vs Jogador, mas gostava de no futuro adicionar melhoramento nos algoritmos de detecção de jogadas obrigatórias (o que foi usado agora serve para desenrascar mas precisa mesmo de melhorias), adicionar capacidade de jogo em rede com um chat, Jogador Vs AI e um substancial melhoramento no interface gráfico!
A quem esteja curioso com o projecto pode consultar a source e os binarios em https://github.com/killercode/damas

Sintam-se a vontade para colaborar e/ou comentar :)

checkers

LMD – Linux Malware Detect

malware

Quem é administrador de servidores para hosting sabe muito bem a dor de cabeça que é ter manter um imenso numero de contas de clientes. Clientes este que metem todo o tipo de scripts e mais alguns nos sites deles e que causam enormes buracos de segurança nos seus próprios site e para alem disso podem comprometer o servidor onde estão.

Foi a pensar nisso que a R-FX Networks desenvolveu  o LMD – Linux Malware Detect.

Trata-se de um pequeno programa que deteta e monitoriza varias ameaças no seu servidor.  Para mim, o ponto chave neste pequeno programa é o facto de podermos contribuir para o crescimento da base de dados de signatures de malware contra o qual os utilizadores estão protegido. Para isso basta reportar qualquer ficheiro que ache estranho que este é enviado para posteriormente ser analizado.

O unico contra que encontro é os falsos positivos que apresenta, no entanto é possivel criar uma lista de ficheiro ignorados.

Para saberem mais acerca deste projecto consultem o site http://www.rfxn.com/projects/linux-malware-detect/

Codebits VI e o projecto PNS

Mais um codebits se passou!

Mais um ano cheio de coisas boas, boas talks, bons projetos, bons brindes…..

Este ano trouxe comigo o André Gil, Claudia Frutuoso e o Gonçalo Basto para fazer um projeto engraçado.

O Projeto chama-se PNS – Personal Notification System.

O conceito é simples, um device que pode ser adicionado a qualquer peça de vestuário ou acessório que permite uma ponte de comunicação entre o utilizador e o seu telemóvel via bluetooth.

Este device permite então interagir com o telemóvel sem ter de o retirar do bolso, o que pode ser útil durante a nossa sessão de jogging, uma reunião enquanto conduzimos ou até mesmo numa situação em que expor o nosso telemóvel em publico pode não ser a nossa intenção.

 

Desse modo podemos programar padrões em leds RGB que nos permitem identificar o que estamos a receber no nosso telemóvel: por exemplo um twitt, um post no facebook dirigido a nos, um SMS, uma chamada de uma determinada pessoa. Podemos também programar cada botão para executar uma ação no telemóvel. Assim podemos, rejeitar ou encaminhar uma chamada, enviar uma mensagem de volta a quem nos ligou a dizer que não podemos atender de momento, enviar um twitt ou post no foursquare com a nossa localização geográfica, podemos até programar um botão para verificar o estado do tempo na internet e mostrar numa sequencia de leds como estará o tempo.

O limite entre as coisas podemos fazer com este dispositivo e um smartphone é a imaginação.

Para que este serviço possa ser usado tanto por utilizadores avançados como basicos, por trás deve existir um pagina de uma comunidade de utilizadores onde seria possível colocar code snippets onde o utilizador pode fazer download desses snippets para o telemóvel e depois assigna-los ao nosso dispositivo.

Para a realização deste projeto usamos um telemóvel android, um arduino Uno, um modulo bluetooth e uma webapp feita com Ink.

Como é óbvio um dispositivo com estas características tem de ser pequeno e de fácil modularização e a versão final do nosso prototipo era tudo menos pequeno mas funcional!

Se estiverem interessados em saber mais acerca deste projeto não hesitem em contactar-me :)

 

Mais um projecto que já rola!

A uns meses atrás o Nuno Ferro convidou-me a ajuda-lo a participar num projecto interessante.

A ideia é fazer uma plataforma de aluguer de bicicletas em que as bicicletas estão colocadas em diversos pontos de uma determinada localidade com auxilio de uns devices engraçados que permitem apenas aos utilizadores com um cartão, devidamente carregado com saldo, levantar as bicicletas para darem as suas passeatas.

Aqui esta o resultado

Arduino Leonardo

Arduino Leonardo

Para quem não sabe, foi lançado o Arduino Leonardo, que diga-se de passagem traz excelentes novidades e muitas features. Para mim das melhores features que este novo arduino tem é o facto de deixar de ter um USB to Serial chip pois o seu novo microprocessador Atmel’s ATmegaXU4  já tem essa funcionalidade embutida! Isto permitiu uma pequena redução de custos na produção. Por isso não se admirem se os arduinos uno deixarem de ser produzidos num futuro próximo.

Para além disso este novo arduino tem mais estas features:

-Mais 4 portas digitais,
-Mais 1 porta PWM e com timers melhores,
-Mais 6 portas analógicas,
-Diferenças  na utilização das portas Serial
-Portas SDA/SCL
-Emulação Teclado e Rato.

Este ultimo ponto da emulação de teclado e rato é uma feature brutal que nos permite facilmente com 2 POTs e um botão fazer um dispositivo tipo mouse que o sistema operativo irá reonhecer como tal, outra grande aplicação para isto é por exemplo fazer um leitor de dados que introduz os dados numa aplicação qualquer como se um teclado se trata-se (ao estilo dos leitores de codigos de barras).

 

Para mais detalhes acerca desta fantastica adição a familia Arduino consultem o seguinte link: http://arduino.cc/en/Main/ArduinoBoardLeonardo